Projetos Todos os projetos

Cultura e Conhecimento

Fortalecimento Institucional e Político

Atividades Produtivas e Geracao de Renda

Monitoramento Ambiental e Territorial

::: Acompanhamento Pedagógico :::

::: Acompanhamento Pedagógico :::

Os acompanhamentos pedagógicos visam promover, no contexto específico de cada comunidade, as discussões realizadas no Programa dos Cursos de Formação Complementar de Professores e incentivar a aplicação dos conteúdos pedagógicos trabalhados. O Acompanhamento Pedagógico é um momento para que os Professores Mẽbêngôkre-Kayapó preparem, com a ajuda de consultores especializados, as nossas próprias aulas de acordo temas e metodologias vistas durante os cursos. Trabalhamos cotidianamente muitas vezes como assistentes dos professores não-indígenas das escolas, mas durante o acompanhamento temos a oportunidade de assumir plenamente as aulas com mais confiança e autonomia na prática docente. Também é uma oportunidade para promover nas nossas escolas o uso dos materiais didáticos que produzimos. Além disso, os acompanhamentos permitem uma atenção mais específica para a atuação de cada professor e para a nossa comunidade, voltando o olhar para as diferenças e convergências internas da educação...

::: Bases de Monitoramento e Vigilância :::

::: Bases de Monitoramento e Vigilância :::

Os territórios indígenas localizados na Amazônia Brasileira têm desempenhado um inquestionável papel na proteção das florestas e na conservação da biodiversidade e, consequentemente, na manutenção do regime de chuvas de boa parte do país e do clima global. Ainda, acolhem diversas populações que sempre desenvolveram e ainda mantêm, atividades produtivas sustentáveis que respeitam assim como necessitam de um meio ambiente preservado e equilibrado. A floresta em pé, ao contrário do que muitos acreditam, nunca foi e não é um espaço ocioso e improdutivo. Tradicionalmente, os Mẽbêngôkre-Kayapó participam de um sofisticado manejo de origem milenar de um vasto território, ocupam áreas de transição entre diversos ecossistemas, trabalhando nesse manejo ecológico, respeitando e enriquecendo ciclos que se estendem ao longo de várias gerações, produzindo roças, campos de caça, pomares, trilhas, aldeias, espaços de convivência e com isso disponibilizando frutos, a fa...

::: Cacau :::

::: Cacau :::



::: Coletivo Beture :::

::: Coletivo Beture :::

O Coletivo Beture é um movimento dos Mekarõ opodjwyj - cineastas indígenas Mẽbêngôkre-Kayapó das aldeias que fazem parte da Associação Floresta Protegida - AFP. Denominamos o Coletivo de Beture, tal como uma formiga que encontramos em nosso território, caracterizada por ter uma mordida bastante potente, a cabeça vermelha e a bunda preta, assim como nós nos pintamos para a guerra. O coletivo surgiu em 2015 e tem contribuido para organizar e estruturar um movimento da juventude que vem surgindo em muitas comunidades. A juventude Mẽbêngôkre-Kayapó deseja registrar a vida e a cultura de seu povo a través das tecnologias audiovisuais e diversas mídias. Hoje o coletivo desempenha um papel fundamental na conquista de reconhecimento cultural assim como na visibilidade das nossas estruturas políticas.  Desde então, formações audiovisuais tem sido realizadas com o objetivo de potencializar as produções do coletivo e ofertar aos cineastas mais conhecimento sobre as técnicas de captaç...

::: Cooperativa Kayapó de Produtos da Floresta - COOBÂ-Y :::

::: Cooperativa Kayapó de Produtos da Floresta - COOBÂ-Y :::

A Cooperativa Kayapó de Produtos da Floresta – COOBÂ-Y, criada em 2011, apoia e valoriza as atividades tradicionais de nosso povo ao contribuir com a produção e comercialização do cumarú, da castanha e do artesanato ao estruturar e certificar as nossas cadeias produtivas. Nosso objetivo é maximizar, facilitar e fortalecer o processo de comercialização dos produtos da floresta, valorizando nossa organização comunitária, agregando valor a nossos produtos ao acessar mercados e gerando renda.

::: Curso de Campo :::

::: Curso de Campo :::

Desde 2007, a Associação Floresta Protegida realiza o curso de campo “Conservação, Vida Social e Desenvolvimento entre o Povo Indígena Kayapó do Sudeste da Amazônia”, voltado para estudantes de graduação e pós-graduação. O curso é realizado todos os anos, entre os meses de julho e agosto, na aldeia A´Ukre e na reserva do Pinkaiti, localizadas na Terra Indígena Kayapó. O projeto é desenvolvido em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade de Maryland (EUA) e a Universidade de Purdue (EUA).O curso oferece à nossa comunidade uma alternativa sustentável de geração de renda e um papel protagônico na difusão e valorização do conhecimento tradicional, em complementariedade com o conhecimento acadêmico relevante para a conservação da diversidade biológica e cultural da Amazônia. É uma experiência de vida marcante para os participantes que podem aproximar-se de um novo olhar sobre o cotidiano da aldeia através da visita guiada pelos memb...

::: Enriquecimento de Quintais com Frutíferas :::

::: Enriquecimento de Quintais com Frutíferas :::

A partir da escuta das necessidades das mulheres, surgiu a demanda de enriquecer os quintais familiares com espécies frutíferas, como forma de garantir as vitaminas na alimentação das comunidades, mas especialmente das crianças.O projeto contribuiu para aumentar a oferta de diversas espécies frutíferas nas aldeias, incluindo: o Abacate, Abacaxi, Acerola, Cajá, Côco, Cupuaçu, Graviola, Laranja, Limão, Manga e Mexerica. Da mesma forma, é oferecida às famílias Mẽbêngôkre-Kayapó a assistência técnica necessária para o cultivo destas espécies para garantir que o plantío seja feito em condições necessárias e com isso permitir que cresçam em boas condições e ofereçam fartura. 

::: Feira Mẽbêngôkre de Sementes Tradicionais :::

::: Feira Mẽbêngôkre de Sementes Tradicionais :::

“Estamos aqui trocando sementes, mas ao mesmo tempo nossa cultura está se fortalecendo, temos essa preocupação de que nossos costumes não venham a acabar, então estamos aqui presentes com objetivo de mostrar nossa cultura para as crianças, para que a juventude possa aprender, para que nossa gente, nosso povo seja mantido e preservado. Eu estarei sempre lutando por isso”, disse Tuire durante a I Feira Mẽbêngôkre de Sementes Tradicionais.

::: Formação Complementar de Professores :::

::: Formação Complementar de Professores :::

O programa tem como objetivo contribuir para a consolidação do direito à educação escolar diferenciada, fomentando discussões sobre o papel da escola nas comunidades e incentivando a autonomia dos professores Mẽbêngôkre-Kayapó em diversas esferas da educação escolar: no planejamento e desenvolvimento de aulas e na discussão dos programas pedagógicos das escolas Mẽbêngôkre-Kayapó, com a participação das lideranças das comunidades. Parte importante do processo é a elaboração de material didático próprio, produzido na língua materna, e a reflexão sobre o ensino da língua, em especial na sua realização escrita. O Programa, promovido pela Associação Floresta Protegida, teve início em 2012 e vem sendo coordenado, desde então, pela educadora Maria Cristina Cabral Troncarelli.Este processo de formação foi em grande parte motivado pelo nosso desejo de preservar e defender o território e contribuir na transformação da escola em um espaço de valorização do conhecimento tradicional que inc...

::: Formação de Agentes Ambientais Indígenas :::

::: Formação de Agentes Ambientais Indígenas :::

A proteção do nosso território e a conservação das nossas florestas e cerrados é fundamental para o respeito à continuidade da nossa cultura, costumes e tradições de acordo com as nossas próprias dinâmicas de permanência e transformação. Para desenvolver ações que levem em conta as prioridades na gestão de nossos territórios é necessário garantir a nossa autonomia e protagonismo, para isso precisamos estabelecer diretrizes que nos orientem na conservação da biodiversidade e no uso sustentável das nossas riquezas naturais, assim como aplicar estratégias que possibilitem a implementação de planos de gestão territorial e ambiental (PGTA). Uma parte dessa estratégia é a Formação de Agentes Ambientais Indígenas, que estamos implementando de maneira integrada e sistêmica, por meio de uma metodologia participativa com o apoio de consultores especializados e a aplicação de diversos instrumentos pedagógicos: aulas presenciais de cunho teórico com atividades em grupo e fases de...

::: Geração de Energia Elétrica :::

::: Geração de Energia Elétrica :::

O trabalho da AFP relacionado a geração de energia solar para as aldeias Mẽbêngôkre-Kayapó se divide em duas frentes: a geração de energia para uso doméstico e sistema off grid para fornecer energia para as casas de cultura de cada aldeia. As experiências piloto com geração de energia para uso doméstico tiveram início em 2015 com a compra e distribuição de modelos de lanternas e carregadores USB movidos a energia fotovoltaica com tecnologia e design de ponta através de parceiros. Com o bem-aceite das lanternas, em 2019, cada casa recebeu uma lanterna de Sistema Mobiya utilizadas para iluminação noturna durante as caçadas coletivas, coleta de produtos florestais, pesca, produção da cultura material e para demais atividades cotidianas. Dentre os objetivos do eixo Educação e Cultura, as atividades para geração de energia fotovoltaica promove o registro e difusão de materiais produzidos pelo Coletivo Beture e favorece a cadeia de transmissão de saberes tradicionais atravé...

::: Jaborandi :::

::: Jaborandi :::

Em 2013 a AFP e a CooBa-Y, em parceria com a FUNAI, iniciaram uma experiência piloto para estruturação da cadeia produtiva do jaborandi, espécie arbustiva abundante no território de muitas das nossas comunidades. É uma planta que apresenta grande potencial comercial junto às indústrias farmacêutica e de cosméticos. Das folhas desta espécie extrai-se a pilocarpina, princípio ativo utilizado no tratamento do glaucoma.O Jaborandi é considerado pelo IBAMA, desde 1992, espécie ameaçada de extinção, tendo como principais causas sua exploração predatória e o intenso desmatamento de áreas de sua ocorrência natural. Nesse contexto, a T.I. Kayapó, por sua grande extensão, excelente estado de conservação e pela abundância de jaborandi, representa um território estratégico para a conservação desta espécie, assim como para o desenvolvimento de um modelo sustentável para sua exploração. Um dado interessante da espécie é que as plantas nativas tem uma quantidade muito maior do principio ativ...

::: A Castanha Mẽbêngôkre-Kayapó - Pi-y :::

::: A Castanha Mẽbêngôkre-Kayapó - Pi-y :::

A coleta da castanha é uma atividade tradicional do Povo Mẽbêngôkre-Kayapó que envolve a grande maioria das aldeias e de suas comunidades durante o período da chuva, que geralmente vai de dezembro ao mês de março. A AFP apoia a atividade desde 2005 por acreditar que a exploração deste recurso representa não apenas uma das opções mais promissoras para a geração de renda de forma sustentável, mas também por ser uma atividade que promove e valoriza a cultura, além de complementar a dieta alimentar indígena. A atividade contribui também com a proteção territorial, pelo fato dos castanhais estarem dispersos por vastas áreas do território, o que estimula a nossa circulação pela Terra Indígena, inibindo a prática de atividades ilegais e predatórias por terceiros. A longa permanência das famílias nos acampamentos de coleta proporciona a oportunidade para a transmissão de conhecimentos dos mais velhos aos mais novos, contribuindo para o fortalecimento da cultura e do modo ser indígena.Em ter...

::: Artesanato - Meprodjà :::

::: Artesanato - Meprodjà :::

O nome da nossa marca de artesanato é Meprodjà. Nosso o objetivo é fornecer uma fonte não sazonal e sustentável de renda, um tipo de renda que é bem distribuída pelas comunidades e que contribui para valorizar e promover a beleza da cultura Mẽbêngôkre-Kayapó no Brasil e no mundo. A nossa loja está aberta a visitação e há uma grande diversidade de produtos à venda.A nossa cultura material é muito conhecida por sua beleza e originalidade, percebidas através dos traços da pintura, as combinações coloridas dos trabalhos em miçanga e os trançados de palha dos nossos cestos.  A confecção de objetos e adornos é uma atividade prazerosa que faz parte do dia-a-dia da maioria das famílias Mẽbêngôkre-Kayapó e a precisão em cada detalhe traz a marca de um conhecimento ancestral, transmitido de geração a geração desde tempos imemoriais. Para valorizar e fomentar a produção artística Kayapó, a Associação Floresta Protegida em parceria com a CooBaY iniciou em 2012 um trabalho de estr...

::: Mobilização e Formação Política :::

::: Mobilização e Formação Política :::

::: Pequi :::

::: Pequi :::

A TI Las Casas ocupa uma área de transição entre os biomas Cerrado e Amazônia, onde o Pequizeiro é uma árvore nativa e está espalhada de maneira abundante pelo território. Nesta Terra Indígena, à diferença das outras, não tem - Pi-y - Castanha-do-Brasil, nem - Krem yky - Cumaru, que são importantes produtos extrativistas para a geração de renda das comunidades que vivem alí. Diante da necessidade de desenvolver uma alternativa de renda nas aldeias da TI Las Casas (Tekrejarotire e Kaprankrere), durante o processo de construção do PGTA - Plano de Gestão Territorial e Ambiental -, a AFP iniciou em 2015 um projeto piloto de comercialização do pequi, com o objetivo de tornar o fruto do pequizeiro, hoje uma importante fonte de alimento durante safra, também em uma fonte de renda para estas comunidades.  Diante disso, desenvolveu-se uma atividade em que se viabilizou o escoamento e comercialização do produto durante as feiras livres do município de Marabá onde...

::: PGTA da Terra Indígena Kayapó :::

::: PGTA da Terra Indígena Kayapó :::

O Plano de Gestão Territorial e Ambiental da Terra Indígena Kayapó consolida mais de 20 anos de processos internos de discussões e estratégias relacionados a gestão desta Terra Indígena. Após a publicação da PNGATI a AFP liderou um processo de sistematização destes processos, reunindo informações, mapeamentos, acordos e planejamentos já realizados e em curso, além de um esforço de conceituação da própria visão de mundo do Povo Mebengokre- Kayapó sobre seus Territórios e como isso se articula com os mecanismos legais e com a sociedade de forma geral. Em 2017 a AFP concluiu a primeira versão do PGTA da TI Kayapó, já no sentido de que pudesse servir como referência e material de base para sua própria atualização e posterior publicação com o do apoio do Fundo Amazônia.

::: PGTA T.I. Las Casas :::

::: PGTA T.I. Las Casas :::

Com a missão de auxiliar e promover o melhor uso do nosso território e recursos naturais, realizamos em abril de 2017, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, o lançamento do Plano de Gestão Territorial e Ambiental (PGTA) da Terra Indígena Las Casas. Os trabalhos para esta publicação começaram em 2014 e foi construído de maneira dinâmica, atuando com diversas ferramentas colaborativas de trabalho, onde todos os habitantes da T.I Las Casas puderam participar da construção do documento.Com intuito de fortalecer o protagonismo de nossos parentes da aldeia Kaprankrere e da aldeia Tekrejarotire (também conhecida como Las Casas), o Plano tem como uma de suas diretrizes, valorizar o conhecimento dos Mẽbêngôkre-Kayapó sobre o espaço, território e recursos naturais. A demarcação desta Terra Indígena foi concluída em 2002 e desde então estamos enfrentando vários desafios para garantir uma melhor qualidade de vida. Alguns dos problemas enfrentados vêm de fora do território, como o cre...

::: Krem yky Cumaru :::

::: Krem yky Cumaru :::

Os velhos dizem que é sempre assim, alguns anos tem safras muito fartas de cumarú/ Krem yky e outros anos é mais ou menos/coibi. Quando passa a chuva é quando começa o inverno, se tiver muita flor é sinal de nessa safra haverá muito cumaru/krem yky. São geralmente os caçadores que primeiro sentem o cheiro que a casca solta, são eles quem fazem a primeira pesquisa quando a safra estiver perto de chegar. Quando a semente cai no chão e fica cheiroso, o caçador percebe e logo avisa a todos na comunidade, pois é o bom momento de coletar, depois da aparição das flores. Quando fica muito florido é por que haverá muito cumaru, como no caso da safra deste ano na TI Kayapó e Mekragnotire. Tem cumaru na mata fechada, na floresta e na terra vermelha também, no cerrado. Suas propriedades medicinais são conhecidas desde tempos imemoriais. O cumaru ocorre em grande densidade nos altos cursos dos rios Iriri e Riozinho, o que se tornou uma boa altern...

::: Produção de Materiais Didáticos em Mẽbêngôkre :::

::: Produção de Materiais Didáticos em Mẽbêngôkre :::

Como resultado do trabalho realizado pelos professores Mẽbêngôkre nas duas primeiras etapas de cursos de Formação Complementar promovidos pela Associação Floresta Protegida, realizadas em 2012 e 2104, conseguimos elaborar e publicar o livro de alfabetização “Mẽprĩre kute Mẽbêngôkre kabẽn mari kadjy ’ã pi’ôk nẽ ja”. O livro foi impresso em 2015 e já serviu como material de base para o terceiro curso de Formação Complementar de Professores, que ocorreu em outubro, na aldeia Rikaró. Nesta etapa, os professores Mẽbêngôkre elaboraram planejamentos de aulas para usar o material nas aldeias com os seus alunos.O livro, elaborado por 57 professores do povo Mẽbêngôkre e organizado pela prof. Maria Cristina Troncarelli, teve a grafia da língua Mẽbêngôkre, consensuada pelos professores indígenas, após um processo de estudo e reflexão que contou com a contribuição do linguista Lucivaldo Costa, da Universidade Federal de Marabá/PA. O objetivo da publicação é desenvolver a alfabetização de cr...

::: Projeto de Pesca Esportiva da Comunidade de Kendjam :::

::: Projeto de Pesca Esportiva da Comunidade de Kendjam :::

A comunidade de Kendjam está localizada na margem direita do rio Iriri, na Terra Indígena Menkragnoti, estamos desenvolvendo um projeto de pesca esportiva desde 2013,uma parceria da Associação Floresta Protegida e a empresa especializada em pesca esportiva Untamed Angling. O projeto é apoiado pelo Instituto de Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI), seguindo a Instrução Normativa no. 3/2015 de 11 de junho de 2015, que estabelece normas e diretrizes relativas a atividades de visitação para fins turísticos em Terras Indígenas, após a realização dos devidos estudos ambiental e sociocultural. A iniciativa de pesca esportiva da nossa comunidade foi desenvolvida para a modalidade de “pesca com mosca” (fly fishing) com soltura obrigatória.Atualmente, a temporada da iniciativa de pesca esportiva de Kendjam dura quatro meses (junho à setembro) e é oferecida para pequenos grupos. Com o objetivo de reduzir os impact...

::: Projeto Kikre: a Casa Kubengôkre :::

::: Projeto Kikre: a Casa Kubengôkre :::

Diante da demanda das comunidades de construir nas aldeias “casas de kubẽ” (casas de branco) e da oportunidade de executar um projeto comunitário de compensação por impactos ambientais, desenvolvemos um processo de planejamento participativo de moradias para 22 aldeias. A través de dinâmicas de sensibilização corporal com o espaço, apreciação de maquetes desmontáveis, animações em 3D e um laboratório de pesquisa dos principais aspectos da casa tradicional Mẽbêngôkre-Kayapó chegamos a uma composição híbrida que resgata diferentes elementos para chegar à Casa Kubengôkre. Cobinamos os saberes da assessoria em arquitetura com os tradicionais. A tradição Mẽbêngôkre-Kayapóde geralmente é dinâmica e implica na apropriação de elementos externos. Existe um grande desejo de grande parte dos Mẽbêngôkre-Kayapó de que as casas sejam mais duráveis, permanecendo durante mais tempo no mesmo lugar sem que tenha que ser reconstruida com tanta frequência. A proposta combinou a...

::: Projeto Merenda Escolar Tradicional :::

::: Projeto Merenda Escolar Tradicional :::

A AFP iniciou em 2012, a compra de alimentos dos Mẽbêngôkre-Kayapó e sua doação simultânea para a merenda escolar das escolas que funcionam nas aldeias associadas. A ação é fruto do acesso a uma política pública para a agricultura familiar, o PAA – Programa de Aquisição de Alimentos, gerida pela CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. Entre 2012 e 2013, 14 aldeias foram atendidas. Com alto grau de aprovação dos indígenas, que viram surgir uma forma de geração de renda através de seu próprio sistema de produção com a pesca, a coleta e a agricultura tradicional, a atividade é organizada a partir dos núcleos familiares.O projeto procurou contribuir para a redução da dependência de produtos industrializados e para a melhora da qualidade da alimentação oferecida nas escolas, assim como para aproximar a escola da realidade sociocultural indígena, através da alimentação e dos saberes associados. Ao fim do ano letivo de 2013, a AFP finalizou a execução dos recursos obtidos ju...

::: Reserva do Pinkaiti :::

::: Reserva do Pinkaiti :::

Pinkaiti é uma reserva de aproximadamente 8.000 ha localizada dentro do território da aldeia A’Ukre, a cerca de 12 km de distância dela. Também conhecida como “Projeto Pinkaiti”, a reserva foi criada em 1992 em parceria com a Conservação Internacional (CI) como resposta à intensa exploração de mogno nos territórios Mẽbêngôkre-Kayapó, que estava em seu auge naquele período. Atualmente a instituição responsável pela reserva do Pinkaiti é a Associação Floresta Protegida. Os principais objetivos da criação da reserva do Pinkaiti foram: estabelecer uma área de contenção à exploração madeireira, permitindo assim a conservação, o estudo e o monitoramento a longo prazo de espécies presentes no território Mẽbêngôkre-Kayapó, assim como proporcionar à A’Ukre uma alternativa econômica à exploração do mogno, que pudesse gerar renda de forma sustentável e beneficiar toda a comunidade, por meio da realização de pesquisas científicas tendo como pré-requisito a preservação da floresta. Dua...

::: Turismo de Base Comunitária :::

::: Turismo de Base Comunitária :::

Acreditamos que o turismo pode gerar renda e promover o etnodesenvolvimento de maneira sustentável, promovendo autonomia, valorização cultural e preservação ambiental dos ecossistemas. As pautas que orientam o trabalho incluem o respeito pela nossa cultura e o protagonismo do nosso povo na elaboração, gestão e avaliação do projeto. É também uma forma de promover a manutenção dos jovens nas comunidades e a ocupação das áreas mais centrais do nosso território. No alto Riozinho o projeto piloto de turismo de base comunitária atende as aldeias Kubenkrankejnh e Kedjerekrã, localizadas em área de transição do cerrado para a floresta, uma região repleta de cachoeiras e incrível beleza natural. Por sua distância de qualquer centro urbano e a consequente dificuldade para o escoamento de produtos, estas comunidades são prioridade no desenvolvimento nas iniciativas de turismo. Realizaram-se diagnósticos participativos e seguimos Instrução Normativa 3/2015 da Funai que regulamenta&nbs...