LINHAS DE AÇÃO

Cultura e Conhecimento

Cultura e Conhecimento

Fortalecimento Institucional e Político

Fortalecimento Institucional e Político

Atividades Produtivas e Geracao de Renda

Atividades Produtivas e Geracao de Renda

Monitoramento Ambiental e Territorial

Monitoramento Ambiental e Territorial

NOTÍCIAS

Capacitação de Agentes Ambientais Kayapó: Um Passo Importante na Preservação Territorial

Entre os dias 20 e 24 de maio de 2024, a aldeia Tekrejarotire da TI Las Casas, foi o cenário de uma importante atividade voltada para a formação de agentes ambientais Kayapó. A atividade, denominada "Formação de Agentes Ambientais Kayapó", foi realizada no âmbito do projeto O projeto “Gestão Sustentável dos Territórios Kayapó-Panará no Sudeste da Amazônia”. Contando com a participação de 42 indígenas da TI Kayapó, sob a orientação de Pablo de Lima Galeão e Kenneri Cezarini Hernandes Alves. Durante os cinco dias de capacitação, os participantes foram introduzidos a uma série de conteúdos teóricos e práticos, essenciais para a atuação eficaz na defesa ambiental.

Reunião Anual do PBA Componente Indígena Kayapó: Diálogo e Planejamento para mitigação de impactos

Dos dias 7 a 9 de maio de 2024, o auditório da Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Professora Beatriz de Moura Arias, localizada em Tucumã-PA, foi palco da Reunião Anual de Avaliação e Planejamento Participativo do Plano Básico Ambiental (PBA) do Componente Indígena Kayapó, vinculado ao empreendimento Onça Puma. Este evento reuniu líderes indígenas, representantes da Vale S.A., equipe técnica do PBA, da associação Floresta Protegida (AFP), e representantes da Coordenação Regional da FUNAI Kayapó Sul do Pará.

Lei 14.701/23 Legaliza Marco Temporal Apesar de Decisão do STF: Luta Indígena Continua

A recente aprovação da Lei 14.701/23, que legaliza o marco temporal, gerou uma nova onda de mobilização entre os povos indígenas e seus apoiadores. Essa lei foi sancionada mesmo após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter declarado a inconstitucionalidade do marco temporal. Em resposta, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), juntamente com outros partidos políticos, entrou com uma nova ação no STF para declarar a inconstitucionalidade da referida lei.