Notícia

::: Kukrut Nhõ Metoro :::

Ocorreu na aldeia Kubenkrãkenh entre os dias 24 e 27 de junho de 2019 o ritual tradicional Kukrut Nhõ Metoro que reuniu a própria comunidade assim como vários de nossos parentes que vieram como convidados de outras aldeias.


A aldeia Kubenkrãkenh é conhecida como a Aldeia Mãe do povo Mẽbêngôkre-Kayapó, com cerca de 200 habitantes, um local de resguardo político, histórico e cultural, primeira aldeia da TI Kayapó. Foi lá que ocorreu entre os dias 24 e 27 de junho de 2019 o ritual tradicional Kukrut Nhõ Metoro que reuniu a comunidade assim como vários de nossos parentes que vieram como convidados de outras aldeias. Além de uma atividade tradicional que reescreve os laços de parentesco, este evento se insere no contexto do projeto Território, cultura e autonomia Kayapó, assinado em março de 2019 e financiado pelo BNDES pelo Fundo Amazônia / FAM. A Associação Floresta Protegida é a primeira associação indígena a executar pela Chamada Pública de Projetos voltados ao apoio de PGTAs em TIs pelo FAM, iniciativas como estas são alternativas locais que fortalecem na base as organizações indígenas que trabalham para manter a floresta em pé. Oriunda do componente Cultura do Programa Apoio à execução e resgate de rituais tradicionais, a atividade Apoio à realização de 5 rituais kayapó a serem definidos pelos indígenas, Kukrut Nhõ Metoro foi o primeiro deles.   

A preparação coletiva para o Metoro contribui para promover o sentimento de estar vivo e pertencer ao povo Mẽbêngôkre. Os rituais e os ciclos cerimoniais Mẽbengôkre vão muito além do que uma mera representação simbólica de um arsenal cultural. As festas rituais colocam em evidência relações fundamentais para a ética e estética do modo de existência Mẽbengôkre [kukràdjà]. Trata-se da visualização da cultura e do modo de existência Mẽbengôkre [kukràdjà] e dos movimentos necessários para a fabricação de novas pessoas e coletividades, ocasião de alianças e familiaridades, partilha de sentimentos, felicidade ou indignação. A Festa da Anta é uma oportunidade para os homens demonstrarem força e raiva (àkrê). 


Assessoria de Comunicação - AFP